sábado, 18 de outubro de 2014

Grande promoção: Vote no Aécio

Grande promoção válida em outubro!!!

Vote no Aécio e ganhe inteiramente grátis, um Aluízio Nunes agregado ao Bolsonaro.

Mas não é só isso, votando no Aécio você também leva, inteiramente GRÁTIS os pastores homofóbicos Malafaia, Everaldo e o fanfarrão Levy Fidelix.

Não pense que a promoção termina aqui.

Votando no Aécio você também ganha, inteiramente grátis os intelectuais Carla Perez, Alexandre Frota, Lobão e Latino.

Mas atenção: se você votar no Aécio, também ganhará um César Maia no Rio de Janeiro, um José Roberto Arruda no Distrito Federal, um Roberto Freire em Pernambuco e um Agripino Maia no Rio Grande do Norte.

Ligue já para o Instituto FHC-Shop, e ganhe este maravilhoso pacote de presente: ACM Neto, José Roberto Arruda, César Maia, Roberto Jefferson, Joaquim Roriz, e muito, muito mais, com um único voto.

E tem mais, você também leva inteiramente grátis, bonequinhos do FHC, do Daniel Dantas ao lado do Gilmar Mendes, do Alckmin no Cantareira e uma foto autografada da turma do movimento golpista “CANSEI” encabeçada por João Dória Júnior.

Isso sem falar no pôster inteiramente grátis dos líderes da construção do TRT paulista o juíz Nicolau dos Santos Neto e do senador cassado Luiz Estevão, todos amiguinhos do Aécio.

Ganhe, ainda, sem concurso, uma leva de deputados que receberam de FHC R$ 200.000,00 para aprovar a emenda da reeleição. E mais: ganhe um curso intensivo de Salvatore Cacciola e Chico Lopes ensinando como ganhar R$ 1,6 bilhão com a desvalorização do Real.

De quebra, votando no Aécio você pode escolher um dos esquemas a seguir pra ganhar dinheiro público fácil: Esquema do Projeto SIVAM, PROER, Propina em privatizações, esquemas no DNER, desvalorizar o real, alugar pros EUA a base de Alcântara, fazer parcerias nos esquemas de Eduardo Jorge Caldas, desviar dinheiro da SUDENE, dar calote no Fundef, desviar  bilhões da saúde em Minas Gerais, entre outros.


Pra finalizar a grande promoção, votando no Aécio você recebe de cortesia uma inflação de 12,5%, um índice de desemprego de 22%, uma taxa de juros de 45% e a destruição em massa dos projetos  PROUNI, FIES, MINHA CASA MINHA VIDA, LUZ PARA TODOS, PRONATEC, CIÊNCIAS SEM FRONTEIRAS, MAIS MÉDICOS e muitos outros.


Tem isso e muito mais. É só votar no Aécio!!!

Por Roberval Padilha

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Em São Paulo, barbeiro nordestino agora é ex-tucano


Faz mais de 10 anos que todo mês tenho uma "briga" marcada com o meu barbeiro, um cearense de trajetória admirável. Ele veio para São Paulo nos anos 70 em busca de uma vida melhor. Comeu o pão que o diabo amassou, mas pode-se dizer que venceu.
Em Sampa, Pedrinho conheceu uma pernambucana, que desposou. Com ela teve um filho, que nasceu "especial". Mas sua trajetória de vida fez dele um conservador. Aprendeu a cortar cabelo quando serviu no Exército, e não foi só isso que lá aprendeu.
A caserna fez do barbeiro cearense um reacionário. Tem preconceito contra homossexuais e sempre teve um ódio visceral pelo PT. Inexplicavelmente, por conta do Bolsa Família.
Algumas vezes pensei em trocar de barbeiro, mas, além de Pedrinho ser um homem sério, trabalhador e de bom coração – apesar da ignorância –, ninguém corta meu cabelo tão bem quanto ele.
O barbeiro e a família que formou integraram-se à classe média paulista, sobretudo depois que ele começou a ganhar dinheiro – ironicamente, na era Lula –, comprou o imóvel onde funciona a barbearia e se mudou para a Vila dos Remédios, do outro lado do Tietê – morava em Guaianases, antes.
Não chega a ser um bairro nobre, mas a casa é dele.
Uma vez por mês, entro no estabelecimento, abraçamo-nos e logo me acomodo em uma das três cadeiras eletrônicas de barbeiro das quais ele tanto se orgulha, apesar de que jamais entendi por que um barbeiro que trabalha sozinho precisa de três cadeiras.
Enfim, após as gentilezas protocolares, eu ou ele puxamos o assunto política. Às vezes, finjo que desta vez não estou a fim de discutir, mas a discussão acaba surgindo. E sempre acalorada. Terminou o corte, porém, volta a cordialidade e nos despedimos com outro abraço.
Pedrinho previu que Marina se mostraria uma farsa e que logo ruiria. E, antes de qualquer outro, já dizia que o candidato "certo" para "derrotar o PT" seria Aécio, que iria para o segundo turno.
Detalhe: Pedrinho só se informa pela tevê e pelo rádio – Globo e CBN. E pelos "doutores" engravatados da Bovespa que também cortam o cabelo ali – a barbearia fica no centro velho. Não lê jornais ou revistas, e parece ter medo da internet e de computadores em geral.
No sábado, fui cortar o cabelo. Alguma coisa me dizia que teria muito a discutir com meu barbeiro, e que, desta vez, a conversa poderia ser diferente.
Explico: Pedrinho é um nordestino orgulhoso, do que dá prova a decoração com motivos nordestinos no salão. Nos dias que antecederam a ida até lá, fiquei imaginando se ele ficara sabendo da onda de ataques a nordestinos na internet...
Quando apareço na porta da barbearia, ele não me encara. Cabisbaixo. E eu, em tom de ironia:
– Como é que anda o barbeiro mais cearense de São Paulo?
– Ah, vai falar da xingação, né?
– Se você quiser...
– Bando de filhas da puta. A gente construiu essa merda dessa cidade.
– Como você ficou sabendo da onda de preconceito, Pedrinho? Está usando computador, agora?
– Deus me livre. Foi a Jussara [a esposa]
– E sobre a "xingação", o que você sentiu?
– Raiva, né? Que você acha?!
– Não sei, ora. Afinal, você sabe por que xingaram os nordestinos, né?
– Sei...
– Então... Se você não gosta do PT, se tem tanta raiva do PT, fiquei pensando se não iria apoiar os eleitores paulistas do Aécio que xingaram o povo do Nordeste por votar em peso em Dilma.
– Porra, Eduardo! Minha mãe é cearense, meu pai é baiano, meus irmãos são cearenses, minha avó é cearense, porra!
– O que você sentiu?
– Decepção
– Decepção? Não foi raiva?
– Também, mas mais decepção.
– Vamos ver se entendi: você não sabia que os paulistas da gema veem assim o Nordeste?
– Achei que isso era coisa do passado. No meu bairro tem tanto nordestino, aqui no centro tem tanto nordestino... São Paulo é só nordestino, porra!!
– Sim, é verdade. Mas uma parte dos paulistas não se mistura... Ou você não sabia disso?
– Sabia, mas não sabia que pensavam essas coisas...
– Ah, vai me dizer que não sabe quem é Mayara Petruso?
– Quem?
– Aquela filha de um dono de supermercado de Bragança Paulista, estudante de direito, quem, em 2010, logo após a vitória de Dilma no segundo turno, pediu que as pessoas fizessem "um favor" e matassem um nordestino afogado.
– Não sabia. Teve isso, também?
– Teve...
– E o que aconteceu com ela?
– Foi processada, perdeu o emprego, ficou manchada.
– Cadeia não, né?
– Filha de bacana, Pedrinho. Mas, para ser honesto, sendo ré primária...
– Ah, tá. Tendi...
Ficamos algum tempo em silêncio. Pelo espelho, olhava o semblante do meu barbeiro. Juro que havia dor.
– Ficou chateado, né, Pedrinho?
Os olhos dele marejaram.
– Fica assim não, Pedrinho. Essa gente não merece. Eles são ignorantes. Escravizaram as meninas da sua terra, trancaram-nas em quartinhos de empregada sem janela, trabalhando 7 dias por semana. Essa gente odeia vosso sotaque, vossa comida, vossa cultura. Mas não abre mão dos vossos serviços...
– Eu nunca pensei... Falei com a Ju, Eduardo. Estamos pensando em voltar pra terrinha. Juntei dinheiro, aqui. Acho que quero viver onde não sou desprezado. Ela também.
– Não faça isso, meu amigo. Fique e lute. Mas para de votar nesses coxinhas tucanos. Eles representam essa gente.
– Nem sei...
Pedrinho é duro na queda, mas foi ali que a mulher dele, que até então permanecera silente, manifestou-se:
– Ele vai votar na Dilma nem que seja a tapa, Eduardo. Ele e todo mundo lá da Vila. Estou ligando pra todo mundo e tem mais gente fazendo a mesma coisa. Depois a gente vai embora desta merda. Com todo respeito, Edu...
– Imagine, Jussara. Fica tranquila. Entendo perfeitamente. E acho que, de certa forma, você tem razão.

Por Eduardo Guimarães

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Dilma cresce e Marina cai, diz Pesquisa Istoé/Sensus

Novo levantamento, divulgado nesta tarde pela revista Istoé, mostra que a disputa pela vaga no eventual segundo turno será emocionante; distância entre Marina Silva, do PSB, e Aécio Neves, do PSDB, que era de 4,3 pontos, na última pesquisa, encolheu para apenas 1,9 ponto; agora, a presidente Dilma Rousseff lidera, com 37,3%, enquanto Marina tem 22,5% e Aécio apresenta 20,6%; no segundo turno, a presidente Dilma venceria os dois adversários; índice dos eleitores que não votariam na candidata do PSB, em nenhuma hipótese, subiu de 33% para 38,8% em uma semana

A pesquisa ISTOÉ/Sensus realizada entre a terça-feira 30 de setembro e a sexta-feira 3 indica que 14,4% dos eleitores admitem mudar de voto e que outros 9,4% ainda não definiram em quem votar para a sucessão presidencial. É esse universo de aproximadamente 35 milhões de eleitores que irá definir quem deverá enfrentar a presidenta Dilma Rousseff (PT) no segundo turno: Aécio Neves (PSDB) ou Marina Silva (PSB). A tendência, segundo Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus, é a de que o tucano passe para a fase final da disputa. “Os números mostram que Marina vem perdendo votos diariamente, em movimento contrário ao de Aécio, que em menos de um mês teve um crescimento de pontos percentuais no índice de intenção de voto”, diz Guedes. “Soma-se a isso o fato de que a perda de votos da candidata do PSB vem acompanhada de um aumento no seu índice de rejeição, o que representa uma dificuldade maior da candidata para obter o voto indeciso ou o voto mais volátil”, explica. O levantamento, realizado em 136 municípios de 24 Estados, mostra que o índice de eleitores que afirmam não votar em Marina de forma alguma saltou de 33% para 38,8% apenas nos últimos sete dias. No mesmo período, a rejeição ao tucano praticamente não variou.


De acordo com o levantamento, a presidenta Dilma Rousseff tem 37,3% das intenções de voto, Marina Silva 22,5% e Aécio Neves 20,6%. Nos últimos sete dias, a diferença entre Marina e Aécio caiu de 4,3 pontos percentuais para 1,9 ponto percentual. Os números apurados pela pesquisa ISTOÉ/Sensus confirmam a tendência mostrada pelas pesquisas internas feitas pelo comando das três principais candidaturas. No PT, o discurso oficial é o de buscar a vitória ainda no primeiro turno. Na prática, porém, o partido trabalha com o horizonte de uma disputa contra o tucano no segundo turno, reeditando a polarização PT/PSDB que vem marcando as campanhas presidenciais desde 1994. Foi esse o cenário que pautou a estratégia da candidata Dilma Rousseff no último debate antes do primeiro turno, realizado na noite da quinta-feira 2. A presidenta e o tucano acabaram sendo os principais protagonistas do embate. Marina Silva ocupou lugar bem mais discreto, ao contrário dos debates realizados no início de setembro, quando a ex-senadora acreana surfava nas ondas das pesquisas eleitorais.
No QG de Marina, o clima é de abatimento. No início da tarda da sexta-feira 3, pesquisas internas mostravam que Aécio e Marina continuavam em empate técnico, mas com ligeira vantagem para o senador mineiro. A candidatura de Marina também sofre com a divisão interna entre os “sonháticos” da Rede e os líderes do PSB. Só na semana passada, por exemplo, é que Marina procurou uma aproximação com as alianças feitas pelos socialistas em Estados importantes, como São Paulo. Às vésperas da eleição, correu para distribuir material de campanha ao lado do governador Geraldo Alckmin, que deverá vencer a disputa no maior colégio eleitoral do País ainda no primeiro turno. Foi tarde demais. Nem mesmo os militantes do PSB se entusiasmaram com a tarefa. Já entre os tucanos, a ordem é apostar em um forte corpo-a-corpo com o eleitorado, usando para isso um exército de prefeitos, vereadores e deputados. As pesquisas também demonstram que o maior número de eleitores indecisos está localizado na região Sudeste. Trata-se de mais uma dado que pode ser decisivo em favor da candidatura de Aécio Neves. O PSDB tem no Sudeste do País suas principais lideranças e maiores redutos eleitorais.
Para um provável segundo turno entre Dilma e Aécio, a pesquisa ISTOÉ/Sensus mostra uma vantagem inicial de 8,9% a favor da presidenta. Esse dado, de acordo com Ricardo Guedes, não representa nenhum tipo de tendência consolidada, embora a história recente não demonstre viradas entre o primeiro e o segundo turno. “Ao contrário de outras eleições, a candidata que vem liderando o primeiro turno tem um imenso índice de rejeição (39,1%). E isso é um impeditivo para a reeleição”, afirma Guedes. 
PESQUISA ISTOÉ/Sensus
Realização – Sensus
Registro na Justiça Eleitoral – BR- 00918/2014
Entrevistas – 2.000, em cinco regiões, 24 Estados e 136 municípios do País
Metodologia – Cotas para sexo, idade, escolaridade, renda e urbano e rural
Campo – de 30 de setembro a 3 de outro de 2014
Margem de erro - +/- 2,2%
Confiança – 95%
Brasil247

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

A IMPORTÂNCIA E A RESPONSABILIDADE DO VOTO


Na hora de escolher o Presidente do Brasil, nós não temos que pensar apenas em nós mesmos: nós temos que pensar no Brasil. Temos que pensar em todos os brasileiros. É preciso ter um senso de nação, um sentido de algo que seja maior - muito maior - do que o nosso próprio mundinho.

Fico chocado com a insensibilidade e a falta de dimensão histórica de determinadas pessoas. Vamos fazer uma leitura mais macro, galera! Vamos tirar a viseira e enxergar o Brasilzão profundo que está passando por uma verdadeira revolução. Revolução pacífica, sem armas, sem derramamento de sangue, sem guilhotinas, mas revolução.

O filho do plantador de sisal que nasceu em 1990, se não morreu de desnutrição, acabou se tornando um plantador de sisal também porque não pôde frequentar escola. Já o filho do plantador de sisal que nasceu em 2005 teve o Bolsa Família e, com isso, pôde se manter na escola. Foi corretamente vacinado e, hoje, com quase dez anos de idade, talvez ainda não saiba mas daqui a pouco descobrirá que existem inúmeras oportunidades para o seu futuro: ProUni, Pronatec, ENEM... Rompemos com o determinismo social que já decretava o futuro das pessoas mais pobres. E estamos falando de um recorte temporal de 15 anos... O que são 15 anos para a História de um país??? É um piscar de olhos. E nesse piscar de olhos já alcançamos avanços grandiosos!

Se formos ficar olhando só para o nosso umbigo, não enxergaremos nada disso, até porque a imprensa golpista faz o favor de esconder todas essas transformações.

Na hora de votar, tentemos ter um pouquinho de generosidade e de capacidade de compreender que a nossa escolha pode não ter um impacto muito forte na nossa vida de cidadãos classe média, urbanos, moradores do sul-sudeste, mas pode ser determinante - vital mesmo! - para muitos que só foram começar a romper agora com o ciclo perpétuo de atraso que sempre condenou milhões de brasileiros à miséria.

Não pense apenas em você. Pense no Brasil e nos brasileiros. Pense no BRASIL DE TODOS. Pense naqueles que só conheciam o Brasil pela sua face repressora. Milhões de brasileiros só conheciam o tal Brasil pelo cassetete. Para muitos brasileiros, só se aplicava a "ORDEM". Finalmente, depois de cinco séculos de oligarquismo, conseguimos eleger um governo que começou a cumprir a segunda parte da promessa continda no lema da nossa bandeira, um governo que passou a finalmente promover o "PROGRESSO" entre os segmentos sociais que sempre foram excluídos e vetados das políticas públicas tradicionais. Finalmente, milhões de brasileiros que só conheciam o Brasil pela via da repressão, por meio do cassetete, passaram a conhecer o Brasil também pela via dos programas de inclusão social. Os pobres - estou falando dos paupééééérrimos - que antes só tinham contato com policiais, agora têm contato com assistentes sociais que vão atrás das pessoas até no meio da floresta amazônica para cadastrá-las no Ministério do Desenvolvimento Social; esses novos cidadão brasileiros hoje têm contato com médicos (cubanos, inclusive), professores... Coisas que não existiam na vida, nem no horizonte dessas pessoas.

Isso é uma revolução!!!! É preciso ser muito tacanho e insensível para não entender e valorizar isso. Quero um presidente que assegure essas conquistas e as aprofunde ainda mais. Antes de satisfazer as minhas vontadinhas de um sujeito que vive razoavelmente bem, que come razoavelmente bem, que mora razoavelmente bem, que tem um acesso razoável aos bens culturais que a nossa sociedade produz etc., eu quero que o meu país supere as páginas do seu atraso colonial, escravocrata, oligárquico. A única candidata que eu vejo comprometida com esse PROJETO HISTÓRICO é Dilma Rousseff.

Voto nela porque, antes de querer mais do que eu já tenho, eu quero que os que têm muuuuuito menos do que eu sejam atendidos na minha frente. 

É DILMA DE NOVO COM A FORÇA DO POVO!!!!

Por Rafael Patto

terça-feira, 16 de setembro de 2014

VOX POPULI: DILMA TEM 36%, MARINA 27% E AÉCIO 15%

Dilma amplia vantagem para Marina em nova pesquisa Vox Populi para a eleição presidencial. A diferença chegou a 9 pontos. Aécio segue estagnado

O instituto Vox Populi divulgou hoje mais uma pesquisa eleitoral para a corrida presidencial em 2014. De acordo com o levantamento, Dilma Rousseff ampliou para nove pontos a sua vantagem sobre Marina Silva. A atual presidente manteve os mesmos 36% da pesquisa anterior, enquanto Marina aparece com 27% (-1%) e Aécio Neves 15%.
Os votos brancos e nulos seriam 8%, e os eleitores indecisos totalizam 12%.
Os candidatos Luciana Genro (PSOL) e Everaldo Pereira (PSC) marcaram 1% cada um. Os postulantes ao Planalto Eduardo Jorge (PV), Levy Fidelix (PRTB), Zé Maria (PSTU), Eymael (PSDC), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO).

SEGUNDO TURNO

Dilma Rousseff e Marina Silva estão tecnicamente empatadas na simulação de segundo turno. A candidata do PSB tem 42% e a petista 41%. Em outra hipótese, com Dilma Rousseff enfrentando Aécio Neves, a atual presidente vence o candidato tucano por 47% a 36%.

REGIÕES

A candidata Dilma Rousseff (PT) leva vantagem nas regiões Centro-Oeste/Norte, Nordeste e Sul do País. Já Marina Silva (PSB) tem maior intenção de voto na região Sudeste.
No Centro-Oeste/Norte, Dilma tem 35% das intenções de voto, contra 33% de Marina e 16% de Aécio Neves. Os outros candidatos, juntos, tiveram 1% do total. Os brancos e nulos são 4% na região, e os indecisos chegam a 10%.
No Nordeste, Dilma tem 56% das intenções de voto, contra 22% de Marina e 6% de Aécio. Os outros concorrentes têm 1%, os brancos/nulos são 6% e os eleitores indecisos atingem 8%.
No Sul, a presidente aparece com 27% da preferência, seguida por Marina (25%) e Aécio (18%). Os outros candidatos têm 2%, os votos brancos/nulos são 9% e os eleitores indecisos são 18%.
Por fim, no Sudeste, Marina Silva tem 28% da preferência, seguida de perto por Dilma (26%) e Aécio (20%). Os outros concorrentes atingiram 2%, enquanto os votos brancos/nulos são 11% e os indecisos são 13%.

DESEMPENHO

A pesquisa também quis saber dos eleitores entrevistados a avaliação da presidente Dilma Rousseff. Para 38% dos entrevistados, o desempenho de Dilma é “ótimo ou bom”. Outros 39% consideram a presidente “regular”. Por fim, 23% julgam a forma de governar “ruim ou péssima”. Os eleitores que não souberam ou não responderam são 1% do total.
A pesquisa ouviu 2.000 eleitores de 147, entre sábado (13) e domingo (14). O levantamento, que tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos e nível de confiança de 95%, está registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-00632/2014.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Pesquisa Interna 11/09: Marina cai mais 3 pontos em tracking diário

RESULTADO DO TRACKING DIÁRIO DE UM GRANDE PARTIDO EM 11/09/2014

Dilma Rousseff(PT) 41%
Marina Silva(PSB) 26%
Aécio Neves(PSDB) 17%
Outros 3%
Brancos/Nulos/Não Sabem 13% 

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Tracking diário 10/09 - Dilma mantem 40%

RESULTADO DO TRACKING DIÁRIO DE UM GRANDE PARTIDO EM 10/09/2014

Dilma Rousseff(PT) 40%
Marina Silva(PSB) 29%
Aécio Neves(PSDB) 16%
Outros 2%
Brancos/Nulos/Não Sabem 13% 

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Dilma tem oito pontos de vantagem no primeiro turno e empata com Marina no segundo

A nova pesquisa  Vox Populi/CartaCapital mostra uma vantagem de oito pontos percentuais da candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) sobre a adversária Marina Silva (PSB) no primeiro turno e um cenário de empate técnico no segundo. Na intenção de voto estimulada, Dilma aparece com 36%. Marina tem 28% e Aécio Neves, 15%. Este foi o primeiro levantamento da série após a morte de Eduardo Campos e a escolha de Marina Silva para substituí-lo, portanto não há base de comparação. Os demais candidatos somam 2%. Brancos e nulos seriam 7%. Outros 13% não souberam indicar um candidato ou não quiseram responder.
O Vox fez duas simulações de segundo turno. Marina Silva obteria 42% dos votos, contra 41% de Dilma Rousseff. Brancos e nulos somariam 10%, enquanto 7% estariam indecisos. Entre Dilma e Aécio, a petista venceria por 44% a 36%, com 12% de brancos e nulos e 8% de indecisos.
Apesar de Marina ainda estar numericamente à frente no segundo turno, 49% do eleitorado aposta na vitória de Dilma Rousseff. Para 31%, a ambientalista será a nova presidenta. Apenas 8% ainda acreditam nas possibilidades de Aécio Neves.
O tucano possui ainda o maior índice de rejeição (45%). Dilma alcança 42% e Marina, 40%.
O levantamento, com duas mil entrevistas em 147 cidades, foi realizado entre a segunda-feira 8 e a terça 9. Mostra, portanto, que o mais recente escândalo na praça, o vazamento de trechos da delação premiada do ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto da Costa, ainda não surtiu efeitos eleitorais. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais e o número de registro na Justiça Eleitoral é BR- 00588/2014.
Carta Capital

Dilma Chega a 40% no Tracking Diário - 09/09


RESULTADO DO TRACKING DIÁRIO DE UM GRANDE PARTIDO EM 09/09/2014

Dilma Rousseff(PT) 40%
Marina Silva(PSB) 30%
Aécio Neves(PSDB) 15%
Outros 3%
Brancos/Nulos/Não Sabem 12% 

terça-feira, 9 de setembro de 2014

CNT/MDA: DILMA CRESCE NO 1º TURNO E EMPATA NO 2º


Presidente lidera a disputa ao Planalto no primeiro turno, segundo pesquisa do instituto MDA divulgada nesta manhã pela CNT; na comparação com última mostra, Dilma Rousseff subiu 3,9%, Marina Silva cresceu 5,3% e Aécio Neves caiu 1,3%; na simulação de 2º turno, petista empata tecnicamente com a candidata do PSB,  com 42,7% contra 45,5% da adversária; avaliação positiva do governo subiu de 33,1% para 37,5%; negativa caiu de 28,8% para 23%.

Pesquisa realizada pelo Instituto MDA divulgada nesta manhã pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) aponta liderança da presidente Dilma Rousseff no primeiro turno da disputa ao Planalto, com 38,1% das intenções de voto. A candidata do PSB, Marina Silva, registrou 33,5%. Em terceiro lugar, Aécio Neves, do PSDB, tem 14,7%.
Na comparação com a última pesquisa CNT/MDA, divulgada no dia 27 de agosto, Dilma subiu 3,9%, Marina subiu 5,3% e Aécio caiu 1,3%. O número de indecisos caiu quase pela metade, de 10,4% para 5,7%. Brancos e nulos caíram de 8,7% para 5,9%.
Em uma simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a petista, com 42,7% das intenções de voto, empata tecnicamente com a candidata do PSB, que registra 45,5%. Em uma eventual disputa entre Dilma e Aécio, a petista venceria com 47,5%, contra 33,7% do presidenciável tucano. Em uma terceira possibilidade, Marina (52,2%) também ganharia de Aécio (26,7%).
A pesquisa aponta que a maior parte dos entrevistados (49%) acredita que Dilma é quem vencerá as eleições. Em segundo lugar, está Marina (34,9%), e, em terceiro, Aécio (6,2%). A candidata do PT também lidera o limite de voto: 22,8% disseram que ela é a única em quem votariam. Marina tem 18,5% dessas intenções, e Aécio, 6,3%.
Avaliação do governo
A popularidade da presidente Dilma cresceu, segundo a mostra. A avaliação de governo era positiva para 33,1% na última pesquisa, no fim do mês passado. Hoje o indicador é de 37,5%. Enquanto isso, o percentual dos que consideraram seu governo ótimo cresceu de 6,8% para 7,7%. A performance considerada boa passou de 26,3% para 29,8%, e a regular de 37,4% para 39%.
A avaliação negativa, por sua vez, caiu e passou de 28,8% para 23%. A atuação considerada ruim passou de 11,8% para 10,8%, e a péssima, de 17% para 12,2%. Em relação ao desempenho pessoal, Dilma também registrou crescimento: de 47,4%, ela foi para 52,4% de aprovação. Já a quantidade dos que desaprovam passou de 47,4% para 42,9%.
Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 estados das cinco regiões, entre os dias 5 e 7 de setembro.

Pescado do Brasil247

TRACKING DIÁRIO PARA PRESIDENTE - 08/09


RESULTADO DO TRACKING DIÁRIO DE UM GRANDE PARTIDO EM 08/09/14

Dilma Rousseff(PT) 38%
Marina Silva(PSB) 30%
Aécio Neves(PSDB) 17%
Outros 4%
Brancos/Nulos 11% 

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Carta Aberta ao Bispo Robson Rodovalho, líder da Igreja Sara Nossa Terra

Foi com profunda tristeza que recebi a informação, que nossa igreja, através das suas orientações, vai apoiar a candidata Marina Silva. Esse apoio, será oficializado em São Paulo na próxima quinta-feira (11/09). Olha Bispo, vivemos numa democracia e qualquer um de nós, tem o direito constitucional de votar em quem quiser, quanto a isso nenhuma crítica, nenhuma reparação. No entanto, conduzir todo um rebanho a um erro sem precedentes, me deixou preocupado.

Sei que o sr. como físico, é um homem estudado e como ex-deputado federal, também é conhecedor da política nacional. É justamente com base nesse cargo que esse apoio me deixou surpreso. Aconselhar toda uma igreja, a votar numa pessoa, cujo apoio político é composto por aquilo que tem de pior na política brasileira é no mínimo estranho. Pedir voto para uma pessoa que muda de posicionamento a cada dia e que não consegue fazer nenhum projeto sério de governo e que ao invés disso, copia descaradamente ideias dos outros, sem nenhum escrúpulo, é inaceitável.

Imagine Bispo, nosso país sendo governado pelos banqueiros nacionais e internacionais; imagina Bispo, nosso país sendo governado por homens como Heráclito Fortes e Jorge Bornhausen, ex-integrantes do DEM antiga ARENA e apoiadores confessos da ditadura militar. Imagina Bispo, nosso país sendo governado por ex-torturadores e seus filhotes, que através do Clube Militar do Rio de Janeiro, já declararam apoio formal a essa candidata, vendo nela a esperança deles voltarem ao poder. Imagine Bispo, como foi antecipado pela Folha de São Paulo, nosso país ter como Ministro da Justiça um homem como Roberto Freire, um dos maiores traidores vivos da história republicana brasileira, aliado histórico do PSDB, que saiu de Pernambuco por absoluto descrédito, além de ser  anti-cristão declarado.

Ouvi dizer, que o sr. resolveu apoiar a Marina, porque ele é evangélica. Mas Bispo, se é para apoiar um evangélico para presidente, por que o sr. não apoia o Pastor Everaldo?

Bispo, nesses últimos 12 anos, nosso país deixou de ser o lixo do mundo e finalmente entrou nos trilhos. Avançamos em todas as áreas. Nosso povo finalmente está vivendo com dignidade. Milhões de pessoas saíram da miséria. Mas de 40 milhões subiram para a classe média. Temos projetos importantíssimos em andamento que não podem parar: Prouni, Pronatec, Minha Casa Minha Vida, Luz para Todos, Ciências sem Fronteiras e centenas de outros.

Bispo, foram construídas 18 universidades publicas nesses últimos anos. Bispo, através desse governo, foi aprovado no congresso a lei que destina dos royalties de petróleo 75% para a educação e 25% para a saúde, e a candidata Marina, declarou que não vai dar prioridade ao pré-sal, deixando de lado esses trilhões de reais, que seriam destinados a áreas de extrema importância para o nosso país.

Bispo, para finalizar, deixo aqui meu apelo, para que reveja sua posição em relação a esse apoio. Aprendi com a palavra de Deus, que nós como seguidores e imitadores de Jesus Cristo, temos a opção pelos pobres e não é concebível diante disso, apoiar uma candidata sem palavra, que é financiada por banqueiros sonegadores, traidores, torturadores; pessoas que não tem nenhum compromisso com os mais necessitados e que historicamente, nada fizeram pelo desenvolvimento da nossa nação.

domingo, 31 de agosto de 2014

AOS BRASILEIROS - 68 Motivos pra votar na presidente Dilma Rousseff

Diferente daqueles que votam na oposição sem rumo e não sabem por que, listo aqui 68 motivos que me levam a continuar votando no PT e na Presidente Dilma. Não dá pra comparar, nossa presidente está anos luz na frente de qualquer candidato.

Se você não conhece os projetos do governo federal, porque a imprensa golpista brasileira não te informa, pelo contrário te deixa alienado, tá na hora de parar de brincar de votar e conhecer cada candidato.

SIM, VOTO NA DILMA 13 - PROJETOS DO GOVERNO FEDERAL 

1 - Sim pelo Prouni.
2 - Sim pelo Pronatec.
3 - Sim pelo Pronaf.
4 - Sim pelo Minha Casa Minha Vida.
5 - Sim pelo Luz Para Todos.
6 - Sim pelo Água Para Todos.
7 - Sim pelo Ciências sem Fronteiras.
8 - Sim pela redução do desemprego a menos de 5%.
9 - Sim pelo pagamento da dívida com o FMI e ainda virar credor do mesmo.
10 - Sim pela inflação cortada pela metade.
11 - Sim pelo Fome Zero que matou a fome de 30 milhões de brasileiros.
12 - Sim pelos 50 milhões que agora tem consulta médica.
13 - Sim pela redução de 20% nas internações em hospitais como efeito do Mais Médicos.
14 - Sim pelo fim do uso privado do dinheiro público em aeroportos e afins.
15 - Sim pelo Brasil entre as 7 maiores economias do mundo.
16 - Sim pelas 18 Universidades Federais construídas.
17 - Sim pelas 370 escolas técnicas construídas.
18 - Sim pela destinação de 10% do PIB para a educação.
19 - Sim pelo governo que pune doa a quem doer os responsáveis por atos de corrupção.
20 - Sim pelo não racionamento de água em energia.
21 - Sim pela triplicação da destinação da verba pra saúde e educação.
22 - Sim pela quantidade de emprego farto.
23 - Sim pela facilidade de se fazer curso superior.
24 - Sim pela primeira vez em que cidades do interior se beneficiam de fato com investimentos federais.
25 - Sim pelo PAC Infraestrutura.
26 - Sim pelo PAC Mobilidade Urbana.
27 - Sim pelo PAC Saneamento Ambiental.
28 - Sim pela redução do desmatamento na Amazônia.
29 - Sim pelo Pre-Sal.
30 - Sim pelo Proinfa de estímulo à energia alternativa, limpa e renovável.
31 - Sim pelo fortalecimento do MPF, CGU e TCU no combate à corrupção.
32 - Sim pela política econômica de controle da inflação com inclusão social.
33 - Sim pela liderança na criação dos BRICS.
34- Sim pela instituição de uma política de relação internacional que abre mercados nos países emergentes sem fechar as portas dos países industrializados.
35 - Sim pelo fortalecimento do Mercosul.
36 - Sim pela valorização das relações culturais com os povos latino-americanos.
37 - Sim pela construção de uma nova imagem do Brasil perante o mundo.
38 - Sim pela aprovação da Lei Maria da Penha que aumentou em 390% a rede de atendimento à mulher.
39 - Sim pelo Mais Cultura, fortalecendo as artes, a tradição e o folclore brasileiras.
40 - Sim pela estruturação da Defensoria Pública da União - DPU.
41 - Sim pela realização das metas dos Objetivos do Milênio da ONU de redução da pobreza e da mortalidade infantil e aumento do abastecimento público de água potável.
42 - Sim pelo compromisso de novas metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.
43 - Sim pela destinação de 75% para educação e 25% para saúde dos royalties do petróleo.
44 - Sim pela realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas no Brasil.
45 - Sim para que o Brasil do neoliberalismo de 12 anos atrás não volte NUNCA MAIS!
46 - Sim pelo aumento das reservas para 360 bilhões; 
47 - Sim pela redução da inflação de 1,5% ao mês no governo neoliberal para 0,01% em julho 2014; 
48 - Sim pela abertura de 17 mil leitos hospitalares na rede preventiva de saúde pública; 
49 - Sim pela estruturação da órgão competente, formado por Procuradores da República, Delegados da PF e Auditores da Receita Federal para a recuperação de U$ 20 bilhões de ativos desviados pela prática de crimes de corrupção, exportação e lavagem de capital; 
49 - Sim pelas 2.300 operações da Polícia Federal de combate à corrupção, comparadas às 40 realizadas durante 8 anos de FHC; 
50 - Sim pelo combate sistemático, organizado e institucionalizado de combate à corrupção 
51 - Sim pela aprovação da Emenda Constitucional que enquadrou a corrupção como crime hediondo;
52 - Sim pela aprovação e regulamentação das leis penais de tipificação dos crimes de quadrilha, organização e associação criminosa, tornando possível acusar, julgar, condenar, prender os criminosos de colarinho branco, além de recuperar o produto do crime (dinheiro e bens) para o patrimônio público e o erário; 
53 - Sim pelo fortalecimento do esporte olímpico brasileiro, que passou a conquistar medalhas em setores nobres como ginástica;
54 - Sim pelo PRONAF de estímulo à agricultura familiar;
55 - Sim pelo Brasil Sorridente que incluiu o tratamento de dentes na rede pública de saúde;
56 - Sim pelo Viver Limites de atenção à pessoa portadora de deficiência física;
57 - Sim pelo apoio à luta do Movimento dos Sem Teto e do Movimento dos Sem Terra;
58 - Sim pelo Brasil Sem Miséria, o maior programa de ascensão social do Mundo;
59 - Sim por um punhado de outras conquistas, como a criação da TV Brasil/EBC, a concessão de canais às emissoras de rádio e televisão comunitárias, lançando a semente para o sistema democrático de comunicação social.
60 - Sim, pelas Escolas Família Agrícola implantadas no Brasil; 
61 - Sim, pelo programa Bolsa Verde Federal,
62 - Sim, para que o Programa Bolsa Verde se estenda para as esferas de UC estaduais, 
63 - Sim pela criação da Lei de Participação Popular; 
64 - Sim, pela instituição das Conferências Populares nos mais diferentes âmbitos da gestão; 
65 - Sim, pela Criação da Política dos Pontos de Cultura no Brasil; 
66 - Sim, por mudar a escala da política pública das Cisternas e abranger muito mais pessoas, 
67 - Sim, pela lei Nacional da Agroecologia,
68 - Sim, por todas as edições das Feiras Nacionais de Agricultura Familiar e Economia Solidária.

SIM, EU TENHO INÚMEROS MOTIVOS PARA VOTAR EM DILMA ROUSSEFF


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

7 motivos pelos quais Marina Silva não representa a “nova política”

Se a sua intenção este ano é votar em uma "nova forma de fazer política", leia este texto antes de encarar a urna eletrônica

É comum eleitores justificarem o voto em Marina Silva para presidente nas Eleições 2014 afirmando que ela representaria uma “nova forma de fazer política”. Abaixo, sete razões pelas quais essa afirmação não faz sentido:

1. Marina Silva virou candidata fazendo uma aliança de ocasião. Marina abandonou o PT para ser candidata a presidente pelo PV. Desentendeu-se também com o novo partido e saiu para fundar a Rede -- e ser novamente candidata a presidente. Não conseguiu apoio suficiente e, no último dia do prazo legal, com a ameaça de ficar de fora da eleição, filiou-se ao PSB. Os dois lados assumem que a aliança é puramente eleitoral e será desfeita assim que a Rede for criada. Ou seja: sua candidatura nasce de uma necessidade clara (ser candidata), sem base alguma em propostas ou ideologia. Velha política em estado puro.

2. A chapa de Marina Silva está coligada com o que de mais atrasado existe na política. Em São Paulo, o PSB apoia a reeleição de Geraldo Alckmin, e é inclusive o partido de seu candidato a vice, Márcio França. No Paraná, apoia o também tucano Beto Richa, famoso por censurar blogs e pesquisas. A estratégia de “preservá-la” de tais palanques nada mais é do que isso, uma estratégia. Seu vice, seu partido, seus apoiadores próximos, seus financiadores e sua equipe estão a serviço de tais candidatos.Seu vice, Beto Albuquerque, aliás, é historicamente ligado ao agronegócio. Tudo normal, necessário até. Mas não é “nova política”.

3. As escolhas econômicas de Marina Silva são ainda mais conservadoras que as de Aécio Neves. A campanha de Marina é a que defende de forma mais contundente a independência do Banco Central. Na prática, isso significa deixar na mão do mercado a função de regular a si próprio. Nesse modelo, a política econômica fica nas mãos dos banqueiros, e não com o governo eleito pela população. Nem Aécio Neves é tão contundente em seu neoliberalismo. Os mentores de sua política econômica (futuros ministros?) são dois nomes ligados a Fernando Henrique: Eduardo Giannetti da Fonseca e André Lara Rezende, ex-presidente do BNDES e um dos líderes da política de privatizações de FHC. Algum problema? Para quem gosta, nenhum. Não é, contudo, “uma nova forma de se fazer política”.

4. O plano de governo de Marina Silva é feito por megaempresários bilionários. Sua coordenadora de programa de governo e principal arrecadadora de fundos é Maria Alice Setúbal, filha de Olavo Setúbal e acionista do Itaú. Outro parceiro antigo é Guilherme Leal. O sócio da Natura foi seu candidato a vice e um grande doador financeiro individual em 2010. A proximidade ainda mais explícita no debate da Band desta terça-feira. Para defendê-los, Marina chegou a comparar Neca, herdeira do maior banco do Brasil, com um lucro líquido de mais de R$ 9,3 bilhões no primeiro semestre, ao líder seringueiro Chico Mendes, que morreu pobre, assassinado com tiros de escopeta nos fundos de sua casa em Xapuri (AC) em dezembro de 1988. Devemos ter ojeriza dos muito ricos? Claro que não. Deixar o programa de governo a cargo de bilionários, contudo, não é exatamente algo inovador.

5. Marina Silva tem posições conservadoras em relação a gays, drogas e aborto. O discurso ensaiado vem se sofisticando, mas é grande a coleção de vídeos e entrevistas da ex-senadora nas quais ela se alinha aos mais fundamentalistas dogmas evangélicos. Devota da Assembleia de Deus, Marina já colocou-se diversas vezes contra o casamento gay, contra o aborto mesmo nos casos definidos por lei, contra a pesquisa com células-tronco e contra qualquer flexibilização na legislação das drogas. Nesses temas, a sua posição é a mais conservadora dentre os três principais postulantes à Presidência.

6. Marina Silva usa o marketing político convencional. Como qualquer candidato convencional, Marina tem uma estrutura robusta e profissionalizada de marketing. É defendida por uma assessoria de imprensa forte, age guiada por pesquisas qualitativas, ouve marqueteiros, publicitários e consultores de imagem. A grande diferença é que Marina usa sua equipe de marketing justamente para passar a imagem de não ter uma equipe de marketing.


7. Marina Silva mente ao negar a política. A cada vez que nega qualquer um dos pontos descritos acima, a candidata falta com a verdade. Ou, de forma mais clara: ela mente. E faz isso diariamente, como boa parte dos políticos dos quais diz ser diferente.
Há algum mal no uso de elementos da política tradicional? Nenhum. Dentro do atual sistema político, é assim que as coisas funcionam. E é bom para a democracia que pessoas com ideias diferentes conversem e cheguem a acordos sobre determinados pontos. Isso só vai mudar com uma reforma política para valer, algo que ainda não se sabe quando, como e se de fato será feita no Brasil.

Aécio tem objetivos claros. Quer resgatar as bandeiras históricas do PSDB, fala em enxugamento do Estado, moralização da máquina pública, melhora da economia e o fim do que considera um assistencialismo com a população mais pobre. Dilma também faz política calcada em propósitos claros: manter e aprofundar o conjunto de medidas do governo petista que estão reduzindo a desigualdade social no País.
Se você, entretanto, não gosta da plataforma de Dilma ou da de Aécio e quer fortalecer “uma nova forma de fazer política”, esqueça Marina e ouça Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV) com mais atenção.
De Marina Silva, espere tudo menos a tal “nova forma de fazer política”. Até agora a sua principal e quase que única proposta é negar o que faz diariamente: política.
Por Lino Bocchini da Carta Capital

domingo, 17 de agosto de 2014

EDUARDO, EU NÃO DESISTI DO BRASIL

Eduardo, você não imagina o quanto eu e todo povo pernambucano estamos lamentando a tua trágica e inesperada partida. Temos muitos motivos para isso. Primeiro, pela falta que irás fazer a tua família e aos teus amigos. Depois, pelo exemplo de homem público que representavas para o nosso estado e para o Brasil.
No entanto, eu tenho um motivo particular para lamentar a tua morte. Depois da tua entrevista no Jornal Nacional, eu fiquei com muita vontade de te encontrar, de apertar a tua mão, olhar no teu olho e te perguntar: Quem disse que eu desisti do Brasil, Eduardo?  Infelizmente, no dia seguinte, ocorreu o trágico acidente e eu nunca vou poder te dizer isso.
Eduardo, não fui eu, nem o povo brasileiro que desistimos do Brasil.
Quem desistiu do Brasil foram setores da política e da mídia brasileira, quando promoveram o golpe militar de 1964 que mergulhou o nosso país em 21 anos de ditadura militar e que submeteu o povo brasileiro aos anos mais difíceis de nossa história. Inclusive, sua família foi vítima na carne daquele momento, quando o seu avô e então governador de Pernambuco, o inesquecível Miguel Arraes, foi retirado à força do Palácio do Campo das Princesas e levado ao exílio.
Eduardo, você não imagina o que essa mesma mídia está fazendo com a tragédia que marcou a queda do teu avião. Eu nunca pensei que um dia pudesse ver carrascos do jornalismo político brasileiro como Willian Bonner, Patrícia Poeta, Alexandre Garcia e Miriam Leitão falando tão bem de um homem público. Os mesmos que, um dia antes do acidente, quiseram associar a tua imagem ao nepotismo no Brasil choram agora a tua morte como se você fosse a última esperança do povo brasileiro ver um Brasil melhor. Reconheço as tuas qualidades, governador, mas não sou ingênuo para acreditar que sejam elas o motivo de tanta comoção no noticiário político brasileiro.
A pauta dos veículos de comunicação conservadores do Brasil sempre foi e vai continuar sendo a mesma: destruir o projeto político do partido dos trabalhadores que ameaça por fim às concessões feitas até então a eles. O teu acidente, Eduardo, é só mais uma circunstância explorada com esse fim, do mesmo jeito que foi o mensalão, os protestos de julho e a refinaria de Pasádena. Se amanhã surgir um escândalo “que dê mais ibope” e ameace a reeleição de Dilma, a mídia não hesitará em enterrar você de uma vez por todas. Por enquanto, eles vão disseminando as suposições de que foi Dilma quem sabotou o teu avião, e que fez isso no dia 13 justamente pra dizer que quem manda é o PT. Pior do que isso é que tem gente que acredita e multiplica mentiras e ódio nas redes sociais.
Lamentável! A Rede Globo e a Veja não estão nem aí para a dor da família, dos amigos e dos que, assim como eu, acreditavam que você não desistiria do Brasil. Você é objeto midiático do momento.
Eduardo, não fui eu quem desistiu do Brasil. Quem desistiu foi o PSDB, que após o regime militar teve a oportunidade de construir um novo projeto de nação soberana e, no entanto, preferiu entregar o Brasil ao FMI e ao imperialismo norte americano, afundando o Brasil em dívidas, inflação, concentração de renda e miséria. O mesmo PSDB que, antes do teu corpo ser enterrado, já estava disseminando disputas entre o PSB e REDE para inviabilizar a candidatura de Marina, aliança que custou tanto a você construir.
Eu não desisti do Brasil, Eduardo. Quem desistiu foi a classe média alta que vaiou uma chefe de Estado num evento de dimensões como a abertura de uma copa do mundo porque não se conforma com o Brasil que distribui renda e possibilita a ricos e pobres, negros e brancos as mesmas oportunidades.
E tem mais uma coisa, Governador. Se ao convocar o povo brasileiro para não desistir do Brasil o senhor quis passar o recado de que quem desistiu foi Lula e Dilma, eu gostaria muito de dizer que nem eu, nem o povo e, nem mesmo o senhor, acredita nisso. Muito pelo contrário. A gente sabe que o PT resgatou o Brasil do atraso imposto pelo nosso processo histórico de colonização, do intervencionismo norte americano e da recessão dos governos tucanos. Ao contrário de desistir do Brasil, Lula e Dilma se doaram ao nosso povo e promoveram a maior política de distribuição de renda do mundo, através do bolsa família. Lula e Dilma universalizaram o acesso às universidades públicas através do PROUNI, do FIES e do ENEM. Estão criando novas oportunidades de emprego e renda através do PRONATEC e estão revolucionando a saúde com o programa mais médicos.
Eduardo, eu precisava te dizer: não fui eu, nem o povo brasileiro, nem Lula, nem Dilma que desistimos do Brasil. Quem desistiu do Brasil, meu caro, foram os mesmos que hoje estão chafurdando em cima das circunstâncias que envolvem o acidente que de forma lamentável tirou você do nosso convívio. Fazem isso com o motivo único e claro de desgastar a reeleição de Dilma e entregar o país nas mãos de quem, de fato, desistiu do Brasil.
Descanse em paz, Eduardo. Por aqui, apesar da falta que você vai fazer a todo povo pernambucano, eu, Lula, Dilma e os brasileiros que acreditam no futuro do Brasil vamos continuar na luta, porque NÓS NUNCA DESISTIREMOS DO BRASIL.
Por Carlos Francisco da Silva, de Bezerros (PE)